Fim de carreira.

Padrão

Você é o fim de carreira que eu escrevi em mim com reticências. Eu quero te continuar. Eu nem sei se queria mesmo levantar em mim tal questão que promove debates calorosos em minha mente. Eu só queria que você soubesse o quanto eu tenho a te oferecer.

Tantas vezes desconjurei tal pessoa pelos atos, pela história, pela vida. Tantas vezes julguei justo haver falta de sucesso e progresso numa vida resumida em tão poucas linhas. Na verdade, eu tinha desconhecimento de caso e nunca achei que pudesse querer mergulhar tão fundo num rio desconhecido. Há pedras? Há peixes? Há água? Não sei, apenas tenho tomado fôlego para tal.

Há um abismo entre nós e eu estou buscando construir essa ponte sem que ela se quebre antes de você me ajudar, porque recusar entregar-se ao desconhecido se já o fez tantas vezes? Porque tanto medo de conhecer o que nunca conheceu? Tome fôlego, mergulhe comigo.

Você é, realmente, um fim de carreira. E eu te escrevi em mim para nunca haver ponto final…Eu quero te ajudar a continuar…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s