Quando seus lábios aos meus.

Padrão

Quando seus lábios aos meus,
Eu me sinto, em minha pequenez: Deus.
O mundo parece que some, não existe
Mulher, não existe homem.
A vida vai lentamente, o tempo,
Em contraponto, vai como água corrente.

Na verdade, eu, e tu também,
passo longe de ser Deus…
Quando seus lábios aos meus.

Paixão, sedução, visceral,
Às vezes puro desejo carnal.

Olhar clínico, cínico, desejo doentio…
Não sei quanto amor, não sei a que vim,
Às veze te quero é pouco, outrora,
É muito, sim!

Dois grandes, se entregam e se tornam pigmeus
É assim que eu, criança, me sinto…
Quando meus lábios aos seus.

Tão doces,
Tão assimétricos,
Tão beneméritos…
Quando seus lábios aos meus.

Seus cabelos em minhas mãos,
Suas mãos acariciando peito meu.

Tudo muda, com desfaçatez, mudo eu.
Me sinto ébrio, sóbrio, insano, sensato…

Sou seu e sou meu…
Sempre…Quando seus lábios aos meus.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s