Soatu.

Padrão

Tu, que nunca me soubeste!
Tudo que me partiste,
Tu que voaste para além serra…
Que rubro contraste!

Tu, a quem me reintegrei;
Tu, a quem amor dei…
Que rubro contraste!

Tu, que nunca me falaste,
Só a tu, que não me amaste,
Foste a tu, rude contraste, a quem amei!
Em tu que pensei quando deitei,
Quando falei amor, a ti contratei,
E o pouco para ti, fora o máximo que doei.

Tu, meu desgaste!
Tu, me contraste!
Tu, que palavras me roubaste…

Só a tu sou fiel,
Só de ti bebo o fel.
Somente de ti, rude contraste, vejo dos olhos o além céu!

Tu, minha pausa;

Tu, minha causa;

Tu, eu, comedido;

Tu, eu, exagero;

Tu, além linhas;
Tu, que te tornaste alma minha…

Só tu que me poetisa!

Tu, perfeita alma lisa…
Só a tu amei, só a tu me entreguei!

Só a tu, contraste meu…
Só por ti o amor doeu…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s