És adeus.

Padrão

Quando fui medo, fostes terror.
Quando fui chegada, fostes partida.
Quando me encontrei, te perdestes
E quando era nulo, fostes exagero.
Quando busquei, fugistes.
Quando li? Não ouvistes,
E disse muito, e ouvistes pouco.
E quis muito e fugistes muito.
Pedra fui, chute fostes.
Quando fui ternura,
Quando fui amor,
Quando fui abraço que acolhe,
Beijo que esquenta e fé que movimenta…
Fostes tu, não fostes nada.
Fostes medo, não brigada.
Quando fui fogo, fostes água e
Quando água fui, não sentias mais sede.
Se não te sou por completo,
Me tens com pouco afeto
E se sou exagero…me mandas pra um bueiro.
Quando sou amor,
És rancor.

E quando sou despedida,
És adeus.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s