O primeiro deles.

Padrão

O fdp está em apuros? Perdoa mãe, não é minha intenção lhe ofender. Estão em apuros os meus sentimentos, a minha vida, os meus anseios e a fome pelo que é novo. Novo como este blog.

Titubeei em criá-lo, como haveria tempo pra isso se desejo ter ‘uma vida cheia de tudo’ em breve? Talvez fosse necessária outra válvula de escape, talvez no tumblr, (depois de postar muito), eu não tenha encontrado essa ‘coisa’ que o blog tem, seja ele blogspot ou agora wordpress. Optei por aqui pra fazer jus ao nome, quem é fã sabe do que estou falando, sabe que Lucas Silveira foi atrás do paradeiro do ‘romance em apuros’, e ele talvez não tenha encontrado. Ou tenha. Já eu? Estou na busca de uma parada.

Uma parada em qualquer sentido, seja a parada-gíria: alguma coisa palpável, algo que preenche os dedos ou que cura a alma. Seja uma parada-logradouro, um posto de gasolina pra uma informação, uma pousada sem chuveiro quente, um restaurante com um tipo de comida, talvez eu esteja atrás dessa parada pra olhar pra trás e ver que é necessário quebrar os retrovisores da alma pra que possamos seguir em frente. Talvez a minha parada seja apenas um sofá, um chocolate quente e um abraço, eu sou fdp, mas também tenho essas carências.

Aliás, fdp somos todos nós, um pouquinho hoje, mais amanhã, talvez quase nada depois, ou sempre em demasia. Sempre fui dos excessos, talvez eu seja fdp em excesso também. Ou talvez eu não compreenda que meu grau de fdputice corresponde ao meu tamanho, ao tamanho dos meus ombros que suportam o mundo e das minhas mãos que seguram grandes fardos. Dói, eu suo e eu choro, mas não reclamo. Porque reclamaria daquilo que eu mesmo me dispus a fazer? Eu devo ser mesmo um grande fdp! E em apuros!

Mas quem não está? Quem não passa por um apuro durante todo o dia? Acho meio complexo a gente querer que as vinte e quatro horas do dia sejam exatamente como a gente quer, é egoísmo e é por isso que abro o peito e vou aos apuros, vou sem medo de errar, vou em busca da minha parada.

O fdp sou eu? Mas você também é, paremos com o egoísmo, é hora de ir em busca de algo muito maior! Hora de deixar o retrovisor na lixeira e não olhar para o que vem atrás tentando atropelar as nossas conquistas, e eu digo nossas porque me sinto mais de um. Tento me diversificar pra não cair na rotina, no norte-comum de querer uma coisa só, saber fazer uma coisa só, ser uma coisa só. Eu quero é ser vários, eu quero é ser muitos em milhões, eu quero é que mesmo que tudo o que faça ou toque não seja excelente, seja bom o suficiente, seja plausível de elogio ou admiração. Eu quero é parar de ser um só, de ser apenas um fdp, que eu seja vários e encontre vários caminhos, várias pessoas, vários meios e erre muito, pra que eu aprenda: a gente tem que abaixar a cabeça, a gente tem que se calar e depois de tudo feito não há como se arrepender. Arrependimento é para os fracos, eu quero ser corajoso.

Eu quero ser o grande fdp da história, eu quero ir atrás do mundo todo e chegar na frente de todos, eu quero ser o primeiro deles. Eu quero ser o fdp em apuros que encontrou a sua parada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s